Em defesa da Chapada dos Veadeiros

Audiência pública na Câmara dos Deputados é marcada pela intensa participação popular

Notícia Postada em - 20/05/2015

Semeando Sustentabilidade

 
Quinta edição da Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros terá programação diversificada e financiamento coletivo.

 

Por Shaonny Takaiama

 

Entre os dias 25 a 27 de setembro, acontecerá a quinta edição da Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros.

O evento já é tradicional no calendário de Alto Paraíso de Goiás e, desde a sua primeira edição, em 2011, proporciona um encontro entre produtores rurais, assentados da reforma agrária, quilombolas, líderes comunitários, membros do poder público, pesquisadores e estudantes com o objetivo de difundir as práticas agroecológicas, trocar saberes e informações, além de propiciar a difusão e o compartilhamento das sementes crioulas e florestais entre os agricultores.

Participam deste evento os oito municípios que integram o Território da Cidadania* da Chapada dos Veadeiros: Alto Paraíso de Goiás, São João da Aliança, Campos Belos, Cavalcante, Colinas do Sul, Monte Alegre de Goiás, Teresina de Goiás e Nova Roma. A última edição contou com 45 expositores das oito cidades circunvizinhas, além da presença de diversas instituições, ONGs, organizações públicas como Emater e Embrapa e estudantes das principais universidades do estado, como a Universidade Estadual de Goiás (UEG), Universidade Federal de Goiás (UFG) e os Institutos Federais de Goiás, além da Universidade de Brasília (UnB).

 

A Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros é uma realização da Rede Pouso Alto Agroecologia, instituição que tem por objetivo disseminar os princípios da agroecologia na região e que congrega cinco organizações da sociedade civil: Cooperativa Ecooideia, Instituto Biorregional do Cerrado (IBC), Rede de Integração Verde (RIV), Cooperativa Frutos do Paraíso e Centro UnB Cerrado.  

Para Satyavan Sat, membro da comissão organizadora, a Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros é a oportunidade dos agricultores terem acesso a variedades de sementes crioulas difíceis de se encontrar atualmente.

 

“Os agricultores perderam o costume de guardar as sementes para os próximos plantios. Devido à industrialização das sementes a cada ano, o agricultor se vê obrigado a adquirir novas sementes para plantar. Então, a nossa feira tem um papel de resgate cultural, resgatar a tradição de se preservar as sementes e a agricultura verdadeiramente tradicional, hoje conhecida como agricultura familiar”

Satyavan Sat

Diretora do Centro UnB Cerrado e integrante da comissão organizadora, Nina Laranjeira vê implicações ainda maiores na Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros.

 

“A produção de alimentos é uma questão estratégica no mundo. A soberania alimentar dos povos é uma ameaça ao poder das grandes multinacionais que tentam dominar o mercado de sementes, na tentativa de dominar a produção de alimentos no mundo. Alimento é poder! Buscamos a segurança alimentar do agricultor e a soberania alimentar da Chapada dos Veadeiros e isso passa pela conservação das sementes e pelo empoderamento do agricultor”.

 

A diretora destaca também a preservação do Cerrado como outro viés importante da Feira de Sementes. “A produção de mudas e o comércio de mudas e sementes do cerrado são hoje necessidade imediata para que o Bioma seja conservado e nossas águas protegidas.”

 

No evento, é possível encontrar sementes silvestres nativas do Cerrado, como as sementes de árvores protegidas por Lei, como Aroeira, Jatobá, Mogno e Ipês. Há, também, à disposição dos agricultores, sementes de chia, amaranto, cevada do Tibet, diversas variedades de milho, como o milho branco, vermelho e preto, e também variedades de feijão, como o roxo, o vermelho e o preto, além de sementes de girassol, abóbora, quiabo, diversas variedades de batata doce, e também de inhame, cará, cará-moela e araruta, entre outras sementes.

 

A contribuição dos Kalungas, comunidades quilombolas da Chapada dos Veadeiros, é essencial para a Feira de Sementes. “Temos também o arroz crioulo dos Kalungas, que cultivam suas sementes há mais de 300 anos, sem agrotóxico e sem mecanização. Eu comi um arroz verde super saboroso certa vez, colhido e destacado no pilão. Aí você vê o que é um arroz de verdade e porque ele veio a fazer parte da base alimentar de todos os brasileiros”, conta Satyavan.

Com a palavra, os agricultores

Altenice Bispo de Macedo, mais conhecida como dona Mocinha, vive desde 2003 no assentamento Sílvio Rodrigues, a 30 km de Alto Paraíso de Goiás e, como produtora rural, acredita na importância deste evento por conhecer de perto as vantagens das sementes crioulas.

 

“Já faz bastante tempo que a gente não compra mais sementes, nós só usamos sementes crioulas. As sementes crioulas são muito importantes para nós. Antigamente, a gente comprava sementes no mercado e, além de elas virem com muita química, nem todas nasciam. O nosso prejuízo era enorme.”

Através da Feira de Sementes, dona Mocinha tem adquirido sementes crioulas bem variadas. “No ano passado, a gente conseguiu sementes crioulas de rúcula, coentro, cenoura e quiabo. Nós também trouxemos nossas sementes e trocamos por outras. Para este ano, iremos trazer para a feira sementes de gergelim, muitos tipos de feijão, maracujá, quiabo, coentro, mostarda e alface”.

 

Para dona Mocinha, desde que passou a produzir de forma orgânica, a saúde de sua comunidade melhorou. “Hoje nossos filhos comem o que plantamos sem medo de passar mal. Houve uma época em que as nossas crianças passavam mal por causa do tomate, ele estava contaminado com muito agrotóxico. Muitas tiveram vômitos e diarreia. Depois disso, decidimos começar com a produção orgânica e nossa saúde melhorou muito.”

 

Outro produtor rural que acredita na importância da Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros é Virgílio Krause Magalhães, também do assentamento Sílvio Rodrigues. “Gosto de ir à Feira para encontrar sementes que não são comuns, como, por exemplo, algumas espécies de abóbora, melancia, batata e mandioca. Eu gosto muito de trabalhar com tubérculos como a batata yacon, o inhame e a cará-moela. Este ano, eu quero adquirir principalmente outras espécies de cará e vou trazer para a feira sementes de batata baroa”, diz.

 

Virgílio Krause também é um entusiasta das sementes crioulas. “Por serem naturais, as sementes crioulas são extremamente importantes para nós. A vantagem da semente crioula é a preservação genética. Quando eu planto uma semente crioula, eu sei o que eu estou plantando e o que eu vou colher”.

 

Apoie a V Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros.
 

Se você acredita na importância deste evento, ajude-o a acontecer! Contribua:  kickante.com/feiradesementes

 
 

Crowdfunding - Fundo Colaborativo

 

Para realizar a quinta edição da Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros, este ano foi criado um financiamento coletivo na plataforma de doações virtuais Kickante.

 

“Como estamos em um momento de crise no Brasil, não contamos com recurso público para financiar a realização da Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros, diferentemente das outras edições. Este recurso que pretendemos arrecadar através do financiamento coletivo será usado principalmente na parte de Logística, para trazer os agricultores das oito cidades circunvizinhas que participam do evento, além de hospedá-los e alimentá-los. As doações servirão também para retribuir o trabalho voluntário dos envolvidos na organização da Feira”, explica Satyavan.

 

 

Para Nina Laranjeira, a Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros precisa existir independentemente dos financiamentos públicos.

 

“Fizemos nos dois primeiros anos basicamente com recursos de projetos da UnB e, no terceiro e quarto ano, com recursos do Ministério do Meio Ambiente. Mas este ano o recurso público acabou e estamos trabalhando com o mínimo. E esse mínimo nós esperamos que venha da sociedade. Entendemos que a conservação do Cerrado e do patrimônio genético da nossa agrobiodiversidade deve ser uma bandeira de toda a sociedade”.

Se você acredita na importância deste evento, ajude-o a acontecer! Contribua:  kickante.com/feiradesementes

* Iniciativa do Governo Federal, o programa Território da Cidadania foi criado em 2008 com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e universalizar ações básicas de cidadania por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável.

 

Comentários

Veja a programação completa da

V Feira de Sementes e Mudas da Chapada dos Veadeiros: