Ruralistas e Governo de Goiás querem adiar assinatura de Decreto para Ampliação do Parque Nacional d


Com a ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que tem hoje 65,5 mil hectares, a área passaria a incorporar 235 mil hectares, tamanho que garante a sobrevivência da unidade de conservação, que sofre com a mudança no uso inadequado do solo em seu entorno, o que prejudica a conservação da fauna, confinada num espaço muito pequeno.


Foto: Mel Meilssa Maurer - Projeto O Caminho do Cerrado que denuncia o desmatamento nas proximidades região da Chapada dos Veadeiros e Brasília

Estudos técnicos e científicos foram elaborados com rigor, consultas públicas foram realizadas dando à sociedade a oportunidade de debater o tema e, depois de meses de negociação, o árduo caminho de proteger a natureza parecia caminhar para um consenso. Se não agradava 100% a gregos e troianos, pelo menos indicava uma luz no fim do túnel, com a proposta de ampliação do Parque Nacional para 242.000 hectares.

A área ampliada incluiria nascentes – absolutamente essenciais às atividades econômicas realizadas no Brasil Central, em que cada vez mais terras agricultáveis são cultivadas e a caixa-d’água representada pelo Cerrado se faz mais e mais necessária – remanescentes de vegetação nativas e populações da fauna ameaçada.

> Assine aqui a petição para ampliação do parque.

Tudo corria bem para a assinatura do decreto de ampliação e o próprio governador do estado de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), encaminhou ofício ao Ministério do Meio Ambiente apoiando a ampliação do Parque Nacional. O problema é que, enquanto encaminhava o documento e se colocava publicamente a favor da ampliação, o secretário de Meio Ambiente do estado de Goiás, Vilmar Rocha, se apresentava também no MMA, junto com lideranças ruralistas locais para pedir a prorrogação em 60 dias para o decreto de ampliação. A medida está na Casa Civil, pronta para ser assinada por Michel Temer.

O motivo levado ao MMA seria ganhar tempo para resolver “problemas fundiários”, já que, de acordo com a própria Secretaria de Meio Ambiente de Goiás, seriam cerca de 50 proprietários da região que reivindicam a legalização de suas terras, por meio de ação cartorial que facilitaria aos posseiros receber indenização por parte da União.

A própria justificativa de tentativa de resolução da situação fundiária de última hora não se sustenta, uma vez que processos dessa natureza podem levar anos e não serão alguns meses que farão diferença. Notadamente, a ampliação do parque já vem sendo discutida há anos e é por meio de seu processo de regularização fundiária que ações de indenização serão contempladas, incluindo a própria regularização documental das propriedades, essenciais a tal processo.

O prazo de 60 dias, já negociado com o ministro Sarney Filho, encerrou-se dia 5 de setembro, e de antemão sabemos que um novo ofício está sendo encaminhado para o Ministério do Meio Ambiente solicitando mais 180 dias. Isso mesmo, seis meses para que a ampliação seja decretada.


Encontro do secretário de Meio Ambiente do estado de Goiás, Vilmar Rocha (à esq.), com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (ao centro) e Presidente do Sindicato Rural de Alto Paraíso (à dir.), Leonardo Ribeiro. Vilmar pediu mais prazo para a ampliação da Chapada dos Veadeiros (Foto: Divulgação/Ministério do Meio Ambiente) Dia 6, de Setembro às 10 horas da manhã, aconteceu no município de Colinas do Sul, Goiás, a reunião do Conselho da APA de Veadeiros. O sentimento de alguns participantes da sociedade civil é de que novamente o setor ruralista está se armando para tomar conta do cenário para ocupar as cadeiras do conselho, mais membros do setor, com vistas a defender seus interesses particulares.

A ONG Mais Cerrado, junto a outras ONGs ambientais, membros da sociedade civil, lutam pela ampliação do parque.

Confira o Vídeo da Campanha de Ampliação do Parque


A medida aumentará a proteção de um dos últimos remanescentes da biodiversidade nativa do Cerrado de altitude e irá conservar mananciais de água vitais para o país. Sem contar nos efeitos benéficos ao clima. O ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, disse, durante a assinatura da ratificação do Acordo de Paris, em Brasília, que pedirá ao governo de Goiás que reconsidere sua posição e sinalize em defesa do parque. Prem Baba, que desenvolve seu trabalho espiritualista parte do ano em um Ashram vizinho ao parque de Veadeiros, se comprometeu com a implantação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas na região.


“Aqueles que têm o poder de decidir sobre o futuro do parque têm em mãos a raríssima chance de fazer parte dessa grande virada na história”, conclamou Baba, ao se referir à ampliação do parque.

Foto: Divulgação/Awaken Love

Leia trecho da entrevista exclusiva ao WWF-Brasil WWF - Por que o senhor considera que a ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é importante neste momento? "Porque o Cerrado é um ambiente em extinção. E a extinção do Cerrado ameaça o equilíbrio da vida, especialmente do sistema hídrico. Nenhuma espécie vegetal ou animal está fora de perigo, mas o ponto central é a água, pois ela é um elemento primordial para o equilíbrio do nosso ecossistema. A quantidade de água está diminuindo de maneira drástica. Soube que cerca de 10 pequenos rios desaparecem do Cerrado a cada ano. E esses pequenos rios alimentam os grandes rios, ou seja, essas águas do Cerrado alimentam as grandes bacias da América do Sul. Portanto, a ampliação do parque possibilita a preservação de um dos maiores e mais valiosos tesouros que temos. O bioma Cerrado é o mais antigo do planeta Terra, e por ter chegado no ápice da sua evolução, se for degradado, não poderá ser recuperado em toda sua plenitude de biodiversidade." Histórico

A unidade de conservação foi criada no fim do mandato de Juscelino Kubitschek, em 1961, como Parque Nacional do Tocantins. Na época, a área protegida tinha 625 mil hectares, quase dez vezes maior do que o atual. Mas foi reduzido em duas ocasiões. Em 1972, quando o parque passou a se chamar Chapada dos Veadeiros, seu tamanho caiu para 171 mil hectares. No início da década de 1980, caiu para os atuais 65,5 mil hectares devido à construção da rodovia GO-239. A ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma iniciativa que tem como objetivo aumentar a proteção do Cerrado – bioma ameaçado principalmente pelo avanço das grandes lavouras de soja, que deixam para trás um rastro de desmatamento que aumenta as emissões de gases de efeito estufa e cria paisagens desoladoras.

Como Ajudar? Engaje-se, compartilhe informações e mantenha-se por dentro. Clique aqui e assine também a petição para ampliação do Parque Nacional:


Fontes: WWF-Brasil: Época - Blog do Planeta ((o))eco - www.oeco.org.br


DESTAQUES

Assine a nossa newsletter